Como Entender o INCI nos Cosméticos?

Muitas vezes nos deparamos com uma lista cheia de ingredientes descritos nos rótulos dos produtos nos mercados, mas como podemos entender a classificação e concentração desses ingredientes no produto?

O INCI é a nomenclatura internacional dos ingredientes cosméticos (INTERNACIONAL NOMENCLATURE OF COSMETIC INGREDIENTS).

É um sistema internacional de nomenclatura para os produtos cosméticos, ou seja, se trata de uma nomenclatura que foi criada com a finalidade de padronizar a descrição dos ingredientes na rotulagem dos produtos cosméticos.

Segundo a Anvisa, o INCI foi trabalhado em conjunto com vários países para simplificar a sistemática de designação dos ingredientes cosméticos. Existem regras específicas que norteiam a definição do “nome” da substância e um comitê internacional responsável pela nomenclatura formado por representantes do FDA (Food and Drug Administration), da Comissão Européia, do Ministério da Saúde do Canadá e do Japão.


Desvendando o INCI nos Cosméticos

Quando olhamos nos rótulos é difícil saber as porcentagens de cada ingrediente usado para a formulação ali criada, porém conseguimos ter uma ideia da quantidade utilizada de cada ingrediente.

Como foi dito anteriormente, a Anvisa exige uma lista de ingredientes escritos segundo a nomenclatura INCI, porém ela não define que tenha que ter uma ordem de descrição dos ingredientes (decrescente), como é o caso da União Européia e EUA…

Mas, como a maioria dos produtores seguem as normas Europeias e EUA, conseguimos fazer essa análise com sucesso na maioria dos produtos para identificação da concentração e classificação.

Segundo as normas dos EUA e União Europeia que seguem o INCI, a ordem decrescente dos ingredientes no rótulo devem ser separados por concentrações dos ingredientes superiores a 1%, enquanto que inferiores a 1% podem ser classificados em qualquer ordem.

Com isso, conseguimos ter em mente mais ou menos a concentração de ingredientes utilizados no produto. Por exemplo, ingredientes com mais de 1% estarão em ordem decrescente e menores que 1% são geralmente os espessantes, fragrâncias, conservantes e corantes.

Então, quando indentificamos os ingredientes que estão abaixo do 1% no rótulo, é mais difícil de saber a concentração, pois a ordem geralmente é aleatória.

E quando identificamos os ingredientes acima do 1%, conseguimos ter uma média noção da base da fórmula, começando pela maior quantidade e diminuindo conforme a descrição.


Conclusão

Agora que você compreende melhor como funciona a classificação e ordem dos ingredientes nas embalagens, é mais fácil de identificar e estimar a quantidade usada no produto.

O INCI é obrigatório em todos os produtos cosméticos, desde maquiagem até shampoo. Então, caso você queira fazer a venda de produtos, se atente a isto!

Já sabia dessa informação? Comenta aqui embaixo se esse post te ajudou!


Fontes:

- http://portal.anvisa.gov.br/documents/106351/107919/PDF%2BINCI%2BNota%2Bt%25C3%25A9cnica.pdf/427aaf9d-3608-4f9d-b612-abfd02c828ec
- https://ec.europa.eu/growth/tools-databases/cosing/
- http://portal.anvisa.gov.br/registros-e-autorizacoes/cosmeticos/produtos/nomenclatura-de-ingredientes

E-book GRÁTIS: Guia da Alquimia na Cosmetologia Natural

2 Comentários

  1. Natália

    Olá, boa noite!

    Atualmente tenho feito estudo na Aromaterapia e tenho interesse em produzir os próprios cosméticos terapêuticos e natural feito a mão, algo voltado para o artesanal. Nesse caso, é obrigatório identificar o rótulo com todos os componentes da fórmula? Acredito que por eu não ter um CNPJ aberto não é necessário registrar pela Anvisa?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *