Como Fazer Substituições nas Receitas?

Algumas dúvidas surgem na hora de pôr a mão na massa, principalmente quando é necessário as substituições nas receitas.

Nós comentamos sobre essa questão em nosso e-book gratuito capa vermelha, você pode baixar aqui.

E antes que a troca aconteça, vamos analisar os seguintes fatores:

  • Já testou?
  • Realmente precisa?
  • Qual o pH?
  • Tem a mesma função?
  • Qual a solubilidade?

Como Fazer Substituições nas Receitas

Bom, uma vez feita essas questões iremos atrás das respostas, então vamos responder cada uma aqui…

Mas antes de tudo, eu preciso dizer que no começo é normal que venham essas dúvidas e você deve ter paciência durante o aprendizado.

O resultado, quando acertado, nos dá uma sensação de trabalho realizado e é muito gratificante ver o que podemos fazer!

Fatores:

  • Já Testou?: Você já pode ter testado a troca em outra formulação na mesma situação, ou não. Caso não tenha testado, o ideal é que você comece aos poucos, ou seja, crie uma receita menor para fazer como teste e veja o resultado. Essa é a melhor forma para se testar nas formulações, muita teoria mas também muita prática!
  • Realmente Precisa?: Se esse ingrediente é usado mais que 50% da receita, com certeza você precisa dele. Se esse ingrediente vai ser usado 1% na receita, você pode deixar de lado (se não for o conservantes, é claro!). Se esse ingrediente tem por função a emulsão ou conservação do produto, é realmente difícil ter que deixar ele de fora. Ou se na formulação final ele dá aquele toque especial, você vai querer ele na receita ou pode substituir por outro ingrediente.
  • Qual o pH?: Com certeza você já deve ter ouvido ou visto a gente falar sobre a questão do pH nas formulações. Incluir ingredientes muito alcalinos com ingredientes muito ácidos podem afetar drasticamente sua formulação, a não ser que esteja fazendo uma bomba de banho (nesse caso eles agem como ingredientes ativos, do qual se usa bicarbonato e ácido cítrico). Ou se você está fazendo um produto para áreas sensíveis do corpo, como a região dos olhos, cuide com o uso de pH muito ácido ou muito alcalino, como a vitamina C, carbonato de cálcio, ácido cítrico, argila bentonita.
  • Tem a Mesma Função?: Você também já deve ter visto/ouvido que óleos devem ser substituídos por outros óleos, ceras por outras ceras e por aí vai… E é isso mesmo, porém você deve analisar a função do ingrediente que está trocando, por exemplo, uma cera emulsionante tem a função de emulsificar sua formulação. Se você for substituir por outro ingrediente que diz ter PROPRIEDADES emulsionantes mas que NÃO É um emulsificante de fato, pode ter problemas. Portanto verifique e conheça bem cada ingrediente antes da troca.
  • Qual a Solubilidade: Quando uma receita vai água você certamente deve usar ingredientes que sejam solúveis em água, quando uma receita vai óleo é a mesma coisa. Então, se você está criando uma receita da qual só vai ingredientes em pó, colocar um ingrediente líquido não vai deixar com um aspecto bom, a não ser que você esteja colocando em uma emulsão da qual esses ingredientes em pó são solúveis nesse solvente.

Como Fazer “Glycerites”?

Pesquisa de Ingredientes

Instabilidade nas Formulações Naturais



Exemplos de Ingredientes para Substituições nas receitas

Cor Carmim: Claro que quem é vegano isto definitivamente não é uma opção de uso. É uma cor que vem da cochonilha (um inseto), mas que tem uma cor única e, até hoje, insubstituível. Pode ser solúvel em óleo e água e é usada durante séculos. Você pode usar como substituição os óxidos de ferro, porém eles vão dar uma coloração diferente, você também pode usar o do D&C red#7, é uma opção.

Argilas: As cores são difíceis para serem trocadas nas receitas, tem poucas opções. Com relação à textura, podemos trocar a rhassoul por bentonita (são argilas mais fortes), já as mais leves temos a caulim, argilas francesas, australianas e zeólito.

Botânicos e Pigmentos: Os pigmentos, como os óxidos de ferro, são insolúveis, finos e de coloração forte, já os extratos botânicos possuem uma solubilidade variada e sua coloração pode oxidar com o tempo, principalmente em receitas aquosas. Então há uma diferença grande quando trabalhamos com um e com outro, principalmente na saboaria onde o ambiente é bem alcalino. O uso de argilas e micas são outras opções para se usar como pigmentos estáveis.

Amidos: São facilmente trocáveis um pelo outro, araruta, trigo ou milho.

Aloe Vera Gel e Suco: Não é recomendado essa troca devido aos ingredientes vem junto com o gel (espessantes, corantes, conservantes, ajustador de pH), já o suco é só a água da aloe vera.

Conclusão

As substituições são viáveis e questionáveis também, apenas devemos verificar esses fatores antes da prática.

Nem toda troca será 100% igual ao outro ingrediente, sempre esteja atento aos componentes desse ingrediente que esteja trocando.

Dessa forma você conhece mais os ingredientes disponíveis para a troca e também sabe melhor aonde incluir.

Gostou do post? Já fez alguma troca sem sucesso? Comenta aqui embaixo!

E-book GRÁTIS: Guia da Alquimia na Cosmetologia Natural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *