Como Fazer Substituição dos Óleos Vegetais

Os óleos vegetais, também conhecidos como óleos transportadores/carreadores/veiculares, podem variar muito de textura, cor, cheiro e composição o que faz a gente analisar melhor na hora da substituição dos óleos.

No geral, eles são os óleos e manteigas base nas formulações, sendo as palavras carreadores/veiculares/transportadores, o termo para diferenciar os óleos vegetais dos óleos essenciais.


Como Fazer a Substituição dos Óleos?

Em muitas receitas, quando disponibilizo, vem algumas perguntas de substituição ou se pode remover tal ingrediente da receita.

Isso envolve algumas variáveis dependendo do ingrediente, pois cada óleo e manteiga tem uma função diferente na receita.

Então, resolvi escrever um post para ajudar de alguma forma a simplificar tudo isso e ter sucesso na substituição!

Como os óleos vegetais são muito usados como ingredientes base nas receitas, eles podem servir para diversas receitas para ajudar na:

Como Fazer Substituições nas Receitas

7 Coisas para NÃO Fazer DIY

Cosméticos Naturais Sem Conservantes


1- Absorção: Os óleos vegetais tem o papel de ajudar na proteção e maciez da pele, também ajudam na hidratação, possui uma gordura cheia de benefícios mas que a absorção pode variar e interferir no uso diário, isso depende muito de receita para receita. Alguns óleos possuem uma absorção rápida, outras média e outras lenta, alguns são até conhecidos por serem “secantes”, outros deixam a pele macia e outros mais oleosa.

Para fazer um lip balm por exemplo, você vai querer um óleo com absorção mais lenta, já uma loção diária é mais indicado o uso de um óleo com absorção rápida. Na hora da troca, sempre use um óleo que seja semelhante em seu aspecto de absorção, sempre se pergunte e teste em sua pele se parece um óleo mais leve ou mais pesado para você? Abaixo mostramos uma imagem com alguns exemplos de óleos e sua absorção:

2- Consistência: Você deve considerar para a troca de ingredientes se esse óleo ou manteiga tem a mesma consistência em temperatura ambiente, o produto final não ficará igual, porém vai ser bem semelhante! Como foi dito, essa consistência é verificada pela temperatura ambiente, ou seja, você tem que verificar se esse óleo ou manteiga é mais líquido, sólido ou macio, cada um vai atuar de forma diferente.
Um exemplo disso seria usar uma manteiga de kokum no lugar da karité, possuem texturas diferentes, a karité é mais pegajosa e a kokum mais quebradiça. Uma vai deixar a receita mais “mole” e a outra vai deixar mais firme/dura.

3- Volume/Diluição: A função dos óleos nas receitas é praticamente a base para qualquer receita, ou seja, deixar eles de fora da lista (quando mencionados) não é uma opção! Deve ser sempre substituído por algo semelhante, do contrário pode dificultar a diluição de outros ingredientes, como os óleos essenciais e outros ingredientes anidros. Isso deixaria a receita irritante para pele e, definitivamente, a receita não ficaria da mesma forma como desejada.

4- Benefícios: Só os óleos vegetais por si só possuem inúmeros benefícios em diversos tipos de doenças mas, além desses benefícios, a receita pode exigir um aroma diferente. Por exemplo, uma receita que usa um óleo de coco, cera de abelha ou manteiga de cacau, possuem características e aromas singulares, o que é difícil de fazer a troca.

5- Textura: A textura pode mudar de óleos sólidos e óleos líquidos, um exemplo é a troca de óleo de coco por manteiga de karité. A textura e ponto de fusão são diferentes e você deve levar isso em consideração para a substituição dos óleos. A manteiga de karité é pegajosa e o óleo de coco é mais suave e oleoso.
Nossa temperatura corporal é 37°C, o óleo de coco derrete em 24°C e a karité 38°C. Quando encostamos o óleos de coco em nossa pele ele logo derrete, já a karité demora um pouco mais. É importante lembrar disso na elaboração das suas receitas!

6- Custo: O custo para a criação de algumas receitas realmente influencia! Isso acontece porque alguns óleos são mais baratos e outros mais finos (caros) e, dependendo de qual receita estiver formulando, se for para lavagem/limpeza de corpo ou rosto, não vale a pena investir nos mais caros!
Seria mais adequado incluí-los em formulação como toners, névoas, cremes hidratantes, assim você esterá usando com sabedoria!

A textura da manteiga de Cacau, karité e óleo de coco na pele. O óleo de coco já derrete com o calor da pele.
Óleo de Coco de perto. Toque oleoso, derrete fácil.
Manteiga de Karité de perto. Toque oleoso e grudento.
Manteiga de Cacau de perto. Toque seco e mais ceroso.


Conclusão

Como regra geral, considere:

Se essa receita usa um óleo específico por tal propriedade ou se representa 50% da receita ou mais, não considere a mudança por outro óleo.

É melhor você criar outra coisa do que tentar uma substituição, seria como trocar o leite do bolo por água…

Se na receita não vai emulsificante ou cera, você deve prestar atenção ao ponto de fusão e textura, isso vai fazer diferença!

Assim como trocar líquidos por líquidos e sólidos com sólidos, porém a absorção deve ser levada em conta.

Um óleo de abacate, que é líquido e lento ser substituído por um óleo de semente de uva, que é líquido e leve, o produto final será diferente.


Fonte:

- https://www.newdirectionsaromatics.ca/products/carrier-oils/ 

E-book GRÁTIS: Guia da Alquimia na Cosmetologia Natural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *