Diferença Entre Óleos Essenciais e Fragrâncias

O IFRA (International Fragrance Association) é responsável por garantir fragrâncias/ingredientes seguros nos produtos…

Para isso, existe o padrão internacional que deve ser seguido conforme cada país, para que cada produto com aroma/perfume não cause nenhuma reação alérgica, deve ter a quantidade aceitável no produto e também o ingrediente deve ser descrito no rótulo.

Isso permite que os ingredientes alérgenos estejam em conformidade com os padrões e estejam descritos nos rótulos para a identificação deles.


Óleos Essenciais e Fragrâncias

26 de alguns materiais usados nas fragrâncias foram destacados em uma análise e que, provavelmente, não causariam reações na pele.

Nesses materiais, 20 dos 26 eram componentes de óleos essenciais considerados potenciais alérgenos, ou seja, podemos encontrar componentes dos óleos essenciais nas fragrâncias.

Podem ser sintéticos ou não, mas a sua química é idêntica um ao outro.

Então, por exemplo, se você tem alguma sensibilidade ao geraniol, seja em uma fragrância ou em óleo essencial, você terá a mesma reação alérgica nos dois.

Com isso, foi estipulado um nível de uso da qual deve ser declarada na composição dos rótulos.

A maioria dos produtos cosméticos contém fragrâncias, sejam elas mais:

  • Finas, que contém mais ingredientes naturais e potenciais alérgenos
  • Químicos Sintéticos, que não causam problemas na pele e são mais baratos (não precisam ser declarados nos rótulos).

Portanto quando visto alguns alérgenos na listagem de ingredientes no produto, é considerado de alta qualidade.

Considerando que dentre os 20 dos 26 são componentes naturais e poucas pessoas são alérgicas a eles.

Possíveis Alérgenos:

  • Amyl Cinnamal
  • Benzyl Alcohol
  • Cinnamyl Alcohol
  • Citral
  • Isoeugenol
  • Eugenol
  • Hydroxycitronellal
  • Amyl Cinnamyl Alcohol
  • Benzyl Salicylate
  • Cinnamal
  • Coumarin
  • Geraniol
  • Hydroxyisohexyl 3-Cyclohexene Carboxaldehyde
  • Anise Alcohol
  • Benzyl Cinnamate
  • Farnesol
  • Butylphenyl Methylpropional
  • Linalool
  • Benzyl Benzoate
  • Citronellol
  • Hexyl Cinnamal
  • Limonene (d-limonene)
  • Methyl 2-Octynoate
  • Alpha-Isomethyl Ionone
  • Evernia Prunastri
  • Evernia Furfuracea

Em negrito estão os componentes que podemos encontrar nos ingredientes naturais.


Regulamentação das Fragrâncias

Segundo o 48º Aditamento do Manual da IFRA, “a metodologia QRA é aplicada para estabelecer 3 normas novas. Estas restringem os ingredientes de fragrâncias que também podem estar presentes em outras fontes (p.ex. óleos essenciais).”

Então, quando um cosmético passa a ser comercializado, a sua composição deve fornecer todos os ingredientes individuais utilizados.

Mas para o caso de fragrâncias existe uma exceção, independente de quantas misturas contém, podem ser listados como: “fragrance/parfum/fragrâncias”.

Isso acontece devido ao uso de misturas complexas de ingredientes químicos naturais e artificiais, do qual fazem parte dos “segredos comerciais” que a lei não força a divulgação.

Porém, há uma exceção! Pelo menos aqui no Brasil e na União Européia, quando os cosméticos possuem ingredientes alérgenos, devem ser listados individualmente por nome.

Segundo a Anvisa, “alguns ingredientes são caracterizados por seu potencial alergênico, como resinas à base de formaldeído, algumas substâncias conservantes e alguns componentes de fragrância. No entanto, apenas para esses últimos há uma lista de ingredientes formalizada na RDC nº 3 / 2012. Essa resolução estabelece uma lista de componentes de fragrância identificados como importante causa de reações alérgicas de contato entre os consumidores sensíveis a fragrâncias e aromas, determinando que a presença dessas substâncias na formulação seja indicada na composição declarada na rotulagem do produto, de modo a facilitar a identificação dessas substâncias pelos consumidores que não as toleram. Tais substâncias devem ser indicadas na rotulagem do produto pela nomenclatura INCI (Nomenclatura Internacional de Ingredientes Cosméticos) quando sua concentração exceder 0,001 % em produtos sem enxágue e 0,01% em produtos com enxágue.”

Exemplo de composição de alérgenos no rótulo:

“leite de aveia, água de rosas, azeite de oliva extra virgem orgânico, manteiga de cacau orgânica de comércio justo, glicerina, ácido esteárico, trietanolamina, fragrância, tintura de benjoim, absoluto de rosa, óleo de camomila azul, óleo de tea tree, óleo de lavanda, álcool cetearílico, * benzílico benzoato, * citronelol, * geraniol, * limoneno, * linalol, metilparabeno, propilparabeno. * Ocorre naturalmente em óleos essenciais.”

Fontes:

 - http://colinsbeautypages.co.uk/spotting-a-good-fragrance-from-an-ingredient-list/
 - https://www.soapqueen.com/bramble-berry-news/what-is-a-fragrance-oil-made-of-2/
 - https://ifrafragrance.org/what-we-do/what-is-a-fragrance 
 - https://ifrafragrance.org/self-regulation/understanding-the-standards 
 - https://www.cosmeticsinfo.org/ingredient/fragrance 
 - http://www.abifra.org.br/wp/ 
 - https://www.cosmeticsinfo.org/ingredient/fragrance 
 -  https://humblebeeandme.com 
 - http://portal.anvisa.gov.br/anvisa-esclarece?p_p_id=baseconhecimentoportlet_WAR_baseconhecimentoportlet&p_p_lifecycle=0&p_p_state=normal&p_p_mode=view&p_p_col_id=column-2&p_p_col_pos=1&p_p_col_count=2&_baseconhecimentoportlet_WAR_baseconhecimentoportlet_assuntoId=10&_baseconhecimentoportlet_WAR_baseconhecimentoportlet_conteudoId=0&_baseconhecimentoportlet_WAR_baseconhecimentoportlet_view=detalhamentos 

Conclusão

Como foi visto, tanto uma fragrância quanto os óleos essenciais podem conter os alérgenos na composição.

A maioria desses alérgenos são de origem natural e os produtos que contém tais ingredientes são considerados mais finos e caros.

Justamente por serem derivados de óleos essenciais, possui a matéria-prima cara para a produção, o que justifica os valores mais altos.

Assim como nos alimentos, são poucas as pessoas que tem a alergia a esses produtos e, portanto, é totalmente necessário o aviso desses ingredientes na composição do produto, caso esteja fazendo a venda.

Caso queira usar fragrâncias na cosmética natural, também não há problema. O ideal é que você veja a ficha técnica dessa fragrância para saber quais misturas de componentes existem nela.

Dessa forma você sabe se existe muita química nessa mistura ou se ela é mais natural.

Gostou desse post? Te ajudou? Comenta aqui embaixo!

E-book GRÁTIS: Guia da Alquimia na Cosmetologia Natural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *